segunda-feira, 29 de abril de 2013

Compensa

Meu bem,
vim lhe falar sobre o teu riso
que de tão belo me dominou
e me deixou refém
de qualquer alegria tua.

Somente o teu riso
aquele sincero que franze a testa
é a verdadeira cura
acima de todas as pílulas
que cobrem tua ausência

De tão puro
me pergunto se posso admirar
de tão vivo
penso que logo eu, morta
posso pecar ao desejá-lo

Meu bem,
vim lhe falar sobre o teu riso
que de tão meu, enloquece
que de tão teu, deixo partir
que de tão nosso, não consegue ver.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Delírio

Deveriam ter te alertado sobre as cicatrizes em meus braços. Assim ficaria mais fácil de fugir quando eu me tornasse escuro, quando você fosse vazio, quando a vida fosse vento.
Toda a culpa do rock 'n roll caindo sobre meus ombros. Dizem ligar, dizem ajudar, mas pouco se importam. Quem não convive com a própria culpa nunca poderá entender a alheia.
Todos os pequenos erros, todas as noites sem glória, todas as giletadas mal cortadas e impunes, nada, absolutamente nada, convém. Ninguém quer saber de uma Lua Nova, de uma tempestade. Quem olha para a noite quer admira-la sem o pesar.
Cansei de avisar à multidão sobre o desespero. Agora, em desespero, espero que ouçam o meu suplício.