sexta-feira, 19 de abril de 2013

Delírio

Deveriam ter te alertado sobre as cicatrizes em meus braços. Assim ficaria mais fácil de fugir quando eu me tornasse escuro, quando você fosse vazio, quando a vida fosse vento.
Toda a culpa do rock 'n roll caindo sobre meus ombros. Dizem ligar, dizem ajudar, mas pouco se importam. Quem não convive com a própria culpa nunca poderá entender a alheia.
Todos os pequenos erros, todas as noites sem glória, todas as giletadas mal cortadas e impunes, nada, absolutamente nada, convém. Ninguém quer saber de uma Lua Nova, de uma tempestade. Quem olha para a noite quer admira-la sem o pesar.
Cansei de avisar à multidão sobre o desespero. Agora, em desespero, espero que ouçam o meu suplício.


Nenhum comentário:

Postar um comentário